Curta a nossa página
Bom dia!  Teresina, 13 de dezembro de 2019
 
11/11/2019 às 18h22 O âncora Você está aqui: Home / Futebol Imprimir postagem

Pikachu é o quarto jogador a ter a marca de 200 jogos pelo Vasco

os 27 anos, o paraense Yago Pikachu chegou na marca de 200 jogos com a camisa vascaína. E não só isso, hoje além de ser referência no time, o lateral-direito é um dos atletas mais amados pela torcida. Ele está desde 2016 no clube e tem contrato até dezembro de 2021.

A marca foi marcada com a goleada de 3 a 0 diante no CSA, no último domingo (10), no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Na partida, o paraense ganhou o carinho do pequeno torcedor Guilherme, que escreveu um cartaz carinhoso para ele e foi atendido pelo ídolo. Além claro, de ter a homenagem do elenco do Vasco.

Pequeno Guilherme

Pequeno Guilherme Carlos Gregório Jr/Vasco

Os paraenses Rossi e Pikachu recebendo o torcerdo Guilherme

Os paraenses Rossi e Pikachu recebendo o torcerdo Guilherme Carlos Gregório Jr/Vasco

Carlos Gregório Jr/Vasco

Mas antes disso, Pikachu comemorou ao lado da família a conquista com turismo: o jogador, a esposa Cris e das filhas Luiza e Giovanna visitaram os pontos turísticos do Rio de Janeiro.

O vascaíno recebeu o carinho de torcedores do Cruzmaltino e de chilenos, paraguaios e argentinos, além de funcionários do local e outros curiosos.

“Muito feliz em vir aqui com a família. Em quatro anos no Rio, é a primeira vez que venho aqui. É a realização de mais um sonho. Conhecer o Cristo, junto com a minha família... é muito bacana. Só tenho a agradecer esta oportunidade que a Vasco TV está nos dando e temos que aproveitar e deixar isso registrado pro resto da vida. Estou vivendo um momento importante, batendo uma marca legal com essa camisa tão pesada”, disse, antes de falar sobre o assédio.

“Tem que acostumar. O pessoal não nos vê sempre. Ainda mais num ponto turístico. Temos que receber bem, atender todos. Esse carinho é muito legal, ser reconhecido e a gente tenta aproveitar para desfrutar de tudo isso”, acrescentou.

Yago e a família no Cristo Redentor

Yago e a família no Cristo Redentor Carlos Gregório Jr/Vasco

Carlos Gregório Jr/Vasco

 

Carlos Gregório Jr/Vasco

Carlos Gregório Jr/Vasco

Pikachu falou ainda sobre a marca alcançada e por ser o quarto jogador a chegar neste número no Século XXI, depois de Fernando Prass, Martín Silva e Éder Luís.

“É muito gratificante. É um sonho. Desses jogadores eu ainda atuei com o Martin Silva e o Eder Luis, que foi muito importante na minha chegada. É uma marca expressiva. Espero bater ainda mais jogos. É gratificante bater essa marca pelo Vasco. Há pouco tempo bati uma outra marca importante, de gols. Só agradeço a quem me ajudou por tudo isso. E desfrutar, para daqui há cinco, dez anos, ser lembrado pelas coisas boas. Sei que é bem difícil de chegar, hoje em dia poucos jogadores ficam tanto tempo num clube e estou no quarto ano aqui”

Confira outros trechos da entrevista de Pikachu para Vasco TV:

PAISAGEM

Traz uma paz, uma tranquilidade. Só o Cristo aqui perto já traz essas sensações. Conhecer o Rio de ponta a ponta, porque daqui da pra ver todos os lugares. Já tivemos uma aula ali embaixo e realmente é muito lindo. Já localizei São Januário, Maracanã... é muito lindo. Só agradecer a oportunidade.

LATERAL ARTILHEIRO

Não era uma meta principal. Sempre foi ganhar títulos primeiro. As coisas foram acontecendo e as marcas foram chegando. Tive essa importante marca também com a camisa do Paysandu e é fantástico alcançar isso com a camisa de um clube gigante como o Vasco.

VISITA EM FAMÍLIA

Minha esposa já conhecia com a minha filha mais velha, mas ela não lembrava, eu perguntei agora. Foi muito legal todo mundo estar aqui e poder aproveitar esse momento. São elas e meus pais que estão do meu lado. Essa marca passa por eles, conheci tudo sobre o Cristo, a história do local, do parque, da floresta. Quem não conhece, precisa conhecer.

BELÉM OU RIO?

Complicado responder isso. Sempre que eu posso, eu vou a Belém visitar meus pais. A Cidade é maravilhosa. O coração fica dividido. Minha filha mais nova é carioca, então tenho uma ligação forte com o Rio. Amo minha cidade natal, nessa vou ficar dividido. O Rio me abraçou, estou totalmente adaptado e está sendo muito além do que eu imaginava. Agradeço a todos que me ajudaram.

MÚSICA BREGA PARAENSE

Chegou aqui no Rio. Hoje em dia é uma febre, principalmente no nosso vestiário. Antes, pós jogos e a gente aproveita. O Rossi, meu conterrâneo me ajuda nessa.

 

 

Com informações do Vasco


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.